aviso aos navegantes

  

laboratÓrios ocn bio

Oceanografia BiolÓgica

É o estudo das inter-relações dos organismos vivos com os ambientes que habitam, ambientes estes oceânicos, costeiros e transicionais, como manguezais e estuários, com ênfase nas relações ecológicas. Abrange a distribuição e os ciclos de vida dos organismos, os ritmos e flutuações de populações e comunidades, a estrutura das comunidades e os processos físicos e químicos interatuantes, estudando a biodiversidade, produtividade, pesca, aquacultura, avaliação de impacto ambiental na biota, buscando melhorar o conhecimento com vistas à proteção e aproveitamento racional de recursos vivos.

professores ocn bio

Prof. Dr. Alexandre de Freitas Azevedo

Possui graduação em Oceanografia pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (1997) , mestrado em Ciências Ambientais e Florestais pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (2000) e doutorado em Biologia (Biociências Nucleares) pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (2005) . Atualmente é Professor visitante da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Professor Adjunto da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Revisor de periódico da Journal of the Marine Biological Association of the United Kingdom, Revisor de periódico da Marine Biology (Berlin), Revisor de periódico da Revista Brasileira de Zoologia, Revisor de periódico da The Latin American Journal of Aquatic Mammals, Revisor de periódico da Bioikos (Campinas), Revisor de periódico da Journal of Zoology, Revisor de periódico da Biota Neotropica, Revisor de periódico da Brazilian Journal of Biology, Revisor de periódico da Psicologia. Teoria e Pesquisa, Revisor de periódico da Brazilian Journal of Oceanography e Revisor de periódico da Oecologia Brasiliensis. Tem experiência na área de Oceanografia , com ênfase em Oceanografia Biológica. Atuando principalmente nos seguintes temas: Sotalia, comportamento, assobios, baía de Guanabara, cetáceos e uso do hábitat.

Prof. Dr. Filipe de Oliveira Chaves 

Professor Adjunto da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), da faculdade de Oceanografia. Doutor em Oceanografia Biológica pelo IOUSP. Desde 1997 atua na região costeira com experiência nas áreas: geológica, química, física e conservação. Atua principalmente nos seguintes temas: gestão, ecologia, manguezal, mudanças climáticas e conectividade de ecossistemas.

Profª. Dra. Gleyci Aparecida Oliveira Moser

Possui graduação em Biologia pela Universidade Federal de São Carlos (1994), mestrado em Oceanografia (Oceanografia Biológica) pela Universidade de São Paulo (1997), doutorado em Oceanografia (Oceanografia Biológica) pela Universidade de São Paulo (2002) e especialização em Cultivo de microalgas pelo Provasoli-Guillard Center for Culture of Marine Phytoplankton (EUA) . Experiência na área de Oceanografia, com ênfase em Interação entre os Organismos Marinhos e os Parâmetros Ambientais, atuando principalmente nos seguintes temas: ecologia do fitoplâncton costeiro, ecologia de microorganismos marinhos, eutrofização, e fitobioensaios.

Prof. Dr. José Lailson Brito Jr.

Possui graduação em Oceanografia pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (1997), mestrado em Ciências Ambientais e Florestais pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (2000) e doutorado em Ciências Biológicas (Biofísica) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2007). Atualmente é professor adjunto da Universidade do Estado do Rio de Janeiro e pesquisador associado do Laboratório de Radioisótopos Eduardo Penna Franca, do Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho, da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Tem dedicado seu trabalho ao estudo do ambiente aquático, com ênfase no necton marinho e fluvial. O pesquisador atua principalmente nos seguintes temas: Bioacumulação de metais-traço (p.ex. Hg, Cd e Sn) e substâncias tóxicas persistentes (p.ex. organoclorados) em ecossistemas aquáticos; e ecologia e conservação de mamíferos aquáticos. Atualmente é Procientista FAPERJ/UERJ e coordenador do Laboratório de Mamíiferos Aquáticos e Bioindicadores da Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

Prof. Dr. Marcos Bastos Pereira

Possui graduação em Ciencias Biológicas mestrado em Engenharia de Produção pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1994) e doutorado em Oceanografia (Oceanografia Biológica) pelo Instituto Oceanográfico - USP (2005). Atualmente é Diretor do Centro de Estudos Ambientais e Desenvolvimneto Sustentável da sub-reitoria de Pós-graduação e pesquisa e professor adjunto da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, membro de conselho do Ministério da Agricultura, Pecuárias e Abastecimento e membro de conselho do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis. Tem experiência na área de Oceanografia, com ênfase em Maricultura e Desenvolvimento Sustentável, atuando principalmente nos seguintes temas: maricultura, oceanografia, educação ambiental, conservação e desenvolvimento sustentável.

Prof. Dr. Mario Luiz Gomes Soares

Graduado em Oceanografia pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (1987). Doutor em Oceanografia (Oceanografia Biológica) pela Universidade de São Paulo (1997). Atualmente é professor adjunto da Faculdade de Oceanografia da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, onde coordena o Núcleo de Estudos em Manguezais (NEMA/UERJ). Professor e orientador no Programa de Pós-Graduação (nível Doutorado) em Meio Ambiente da UERJ. Professor e orientador no Programa de Pós-Graduação (nível Mestrado) em Oceanografia da UERJ. Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Meio Ambiente da UERJ (2008-2010). Lider do grupo de pesquisa do CNPq "Núcleo de Estudos em Manguezais: estrutura, função, dinâmica e conservação". Tem como principais linhas de atuação: (i) ecologia de manguezais; (ii) estrutura e dinâmica de planícies hipersalinas associadas a florestas de mangue; (iii) efeitos das mudanças globais e variabilidades climáticas sobre o ecossistema manguezal; (iv) impacto da contaminação por óleo sobre o ecossistema manguezal. Atua ainda como membro do Conselho Gestor da APA Guapimirim, do Conselho Consultivo da Reserva Biológica e Arqueológica de Guaratiba e do Conselho Consultivo do Mosaico da Mata Atlântica Central Fluminense.